Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/tantrato/public_html/wp-includes/theme.php on line 630

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/tantrato/public_html/wp-includes/theme.php:630) in /home/tantrato/public_html/wp-content/themes/asana/functions.php on line 2847
Tantra Touch - O caminho da verdadeira cura

O caminho para a verdadeira cura

Trazendo luz às emoções

Nós aprendemos a não sentir.
Fomos ensinados desde muito cedo a não expressarmos nossas emoções. Nos foi dito que sentir raiva é feio, que chorar é para fracos, e por aí vai.
Dessa forma, sempre que alguma emoção surgia, nós a rejeitávamos e julgávamos, como se algo de errado estivesse acontecendo com nós.
Por medo de não sermos aceitos, construímos uma imagem que gostaríamos de ser, que julgávamos correta e adequada. Onde poderíamos ganhar a aprovação e o amor das outras pessoas. E o nosso verdadeiro Ser, com suas fragilidades e vulnerabilidade foi escondido, renegado.
E isso se tornou algo tão natural, que nem mesmo nós sabemos quem realmente somos. Estamos totalmente identificados com a imagem que construímos sobre nós mesmos.

A verdadeira cura, só é possível quando temos a coragem de dar um passo e ir para dentro; olhar o que negamos e escondemos por tanto tempo. Trazer antigas feridas para a luz.
Quando somos capazes de reconhecer e tomar responsabilidade pelo nosso próprio mundo interno, nossas emoções, padrões limitantes, máscaras… deixamos de projetá-las para fora, em outras pessoas ou situações. Mas assumimos todas elas como parte de nós.

Este é o passo para a liberdade: Tomamos as nossas vidas em nossas mãos.

Ninguém é mais responsável pelas nossas frustrações e alegrias. Somos nós, como indivíduos maduros e conscientes, que assumimos responsabilidade pelas nossas experiências.
E quando somos capazes de dar um mergulho para dentro e sentir, simplesmente sentir incondicionalmente, algo dentro se revela.

Quando podemos nos abrir para nossa vulnerabilidade, um raio de luz pode entrar.

Um espaço de silêncio e acolhimento gentilmente vai desabrochando dentro. Um amor incondicional, que aceita e acolhe o que quer que seja.
Assim, emoções antigas podem ser vistas, acolhidas. Nos tornamos indivíduos mais íntegros, responsáveis pelas nossas próprias experiências. Somos capazes de nos amarmos e acolhermos incondicionalmente.
E este é o caminho da verdadeira cura.

Lily & Akshi

Tantra Touch - Trazendo luz às emoções

Lidando com fortes emoções

Quando uma emoção contra ou por alguém aparecer, não coloque isso na pessoa em questão, mas mantenha-se centrado.
Se a raiva aparecer por alguém, ou o amor aparecer por alguém, o que nós fazemos? Nós projetamos isso na pessoa. Se vc sente raiva por mim, vc esquece de si mesmo completamente, somente eu me torno o seu objeto. Se vc sente amor por mim, vc esquece de si mesmo completamente, somente eu me torno o seu objeto.Vc esquece completamente o seu centro interior, o outro se torna o seu centro.
Este sutra diz: quando a raiva, o amor ou o que quer que seja chegar, não projete isso na pessoa em questão, o outro é somente uma tela. Lembre-se, vc é a fonte disso. Então não se mova para o outro, mova-se para a fonte, para o centro, vá para dentro.
Mantenha-se centrado, não vá para o objeto. Alguém está te dando a chance de estar consciente de sua própria raiva, agradeça a esta pessoa e esqueça-a. Feche seus olhos, se mova para dentro, e olhe para a fonte disso.
Eu vou terminar com uma história Zen. Um dos maiores mestres Zen, Lin Chi, costumava dizer, “Quando eu era jovem, era fascinado por barco, eu tinha um barco pequeno e poderia ficar por horas num lago sozinho. Uma vez aconteceu que eu estava com os olhos fechados meditando no meu barco, quando um barco vazio veio flutuando e bateu no meu barco. Meus olhos estavam fechados então eu pensei “Alguém está aqui e bateu no meu barco”. A raiva veio. Abri meus olhos pronto para falar com alguém com toda minha raiva, quando percebi que o barco estava vazio. Então não tinha ninguém para eu ir na direção, para quem eu iria expressar minha raiva? Então não tinha nada a fazer, não poderia projetar minha raiva num barco vazio!
Então Lin Chi disse, “eu fechei meus olhos, a raiva estava lá, e não encontrando forma de ir para fora, eu mergulhei nela. E aquele barco vazio se tornou minha realização. Eu cheguei num ponto de silêncio naquela noite. Aquele barco vazio foi meu mestre. E agora quando alguém vem e me insulta, eu sorrio e digo, “este barco também está vazio”, fecho meus olhos e vou para dentro.
Use esta técnica, pode funcionar milagrosamente para vc!

OSHO

Categorias: Artigos

Publique um comentário